Histórico
 25/06/2006 a 01/07/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 16/04/2006 a 22/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005


Outros sites
 Umberto Krenak
 Leila Silva
 Rubens da Cunha
 Neysa Prochet
  M Helena Bandeira
 Marcelo D'Ávila
 inquieta/Vera do Val
 Marcelino Costa
 Marta Rolim
 Tania Melo
 Rafael Duarte
 Phlavyus Moutinho


 
RAPIDINHAS DA OE
 

Rap 5 -  10/2/2006

Ditador – Marta –Tema: Você terá que chefiar a expedição de captura

1- Marcelo – 9,4

2- Rita – 9,0

 

Herói de guerra

Quando o Capitão morreu, o Comandante disse que eu teria que chefiar a expedição de captura. Não me sentia em condições, mas fazer o quê? Ordens são ordens.

O marciano tinha o tamanho de um urso, olhos enormes e uma baba que escorria de uma boca repleta de tentáculos que repetia "ulla, ulla, ulla". Sua pele era oleosa e se alimentava de sangue humano. Depois de ver meus comandados caírem, um a um, como frutas secas, senti o tentáculo na garganta e o sangue deixando meu corpo. Agora era só questão de tempo. Três minutos e o marciano tombou, sem vida.

A medalha até que ficou bem no peito carcomido pelo vírus.   

Marcelo  

**
      Você no espelho

Das memórias  de João Mariz Fernandez: "Destacado  para o regimento da colônia lunar. Faz dez anos agora.

Ainda lamento. Às vezes,  choro.Temendo à  execução por desobediência, aceitei chefiar aquela expedição de captura a José  Cordonella. O Conselho Mundial rotulava-o de 'criminoso político.

Mas eu o conhecia como ninguém: a melhor  pessoa que já vi.  Foram as idéias radicais  obscenas ("liberdade de expressão", "democracia"...) que o arruinaram.

José resistiu  à prisão. Atirei nele. O Comando rosnou - pois ansiava fuzilá-lo em público - mas,  no fim, ficou contente com aquela morte. Eu não.

A memória  dele ainda me assombra. Talvez, eu seja um fraco, afinal, por que um homem  seria tão apegado a seu clone?" 

Rita



Escrito por inquieta às 15h59
[ ] [ envie esta mensagem ]



Rap 4 -  1/2/2006

Ditador – Rubens –Tema: Eu tô aqui

1- inquieta – 8,8

2- Marcelino – 8,4

 

 

Sina

  

  Foi tudo tão rápido; bem que ela avisava o marido, o dia vai chegar... 

  E chegou. A bala foi certeira. Dorival nem gemeu.

  Martírio engoliu o choro, secou os olhos, abaixou-se e depositou a última rosa na terra fofa. A solidão lhe arrepiou a pele. Sina de nome, sina de vida.

  Engasgou um soluço. E agora?

  Foi quando sentiu o puxão na saia:

  - Eu tô aqui, mãe.

Era Dozinho. Deram-se as mãos  e voltaram para o barraco.

 

inquieta

 

**

 

  A Moça da Mesa Oito

  

  Ao enxugar-se, observou seu corpo refletido no espelho. Gostou do que viu: tudo no lugar; sem gorduras adicionais e cheirando a pétalas de rosas. Esta noite será perfeita.

  Ao entregar as chaves para o manobrista notou seu olhar anguloso. O maitre conduziu-a pelo amplo salão, repleto de mesas com feitiços castiçais. Duas louras bebericavam num canto penumbroso, no outro extremo um casal masculino jantava, ambos descalços. Os pés roçando a perna cabeluda.

  A moça da mesa oito levantou-se ao avistá-la. Ao escolhê-la, pela foto no site de acompanhantes, parecia bonita, mas era lindíssima.

  Eis-me, - disse antes do beijo afoito - gostou?

 

Marcelino



Escrito por inquieta às 12h21
[ ] [ envie esta mensagem ]



Rap 3 -  26/1/2006

Ditador – Inquieta –Tema: Êxtase

1- Marselo – Helena - 9,4

2- Marcelo – 9,1

 

Pai Filho Espírito Santo

Senhor, o senhor é três e vai entender a minha situação. É a história de uma idéia fixa: sair do corpo. Passei vinte anos morando no meu. Primeiro, tentei com o sexo. Entrei, aos dezessete, no de uma mulher e lá depositei indícios do meu. Nove meses depois saí de dentro dela. Não
gostei dessa solução. Aos dezoito, Isaac já tinha um. Afoguei-o nabanheira, ordens Vossas.
Senti-me vingado: o *filho da puta da minha mãe* ficou dois anos sofrendo naquela cela. Mas cansei de me divertir com o seu sofrimento e rasguei as próprias entranhas, desesperado para ver se sairia algo de lá.

Fico feliz e surpreso de encontrar o Senhor aqui. E agora?

Marselo

 

**

Alumbramento
 Irmã Madalena tem a pela lisa e olhos febris. Adoração exaltada, corpo que se contorce em noites insones.Irmã Madalena espera o Messias em carne.

O Vento Norte trouxe Padre Inácio no verão ardente. Recém saído do seminário, boca pecadora.
Irmã Madalena aprende rápido.No escuro do catre, ela delira:

- Eu vi os céus... eu vi os céus... Sem saber que plagia Bandeira.

Helena

**

Livre negociação

O combinado: dez o strip, vinte o boquete e trinta o papai-mamãe.Mais ela não fazia.

Dezesseis anos. Dezessete em março.

O velho não chegou a abrir a carteira. Bem que o médico tinha dito: o coração podia não agüentar emoções mais fortes.

Marcelo



Escrito por inquieta às 12h12
[ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]